ponto de fuga e desenho com perspectiva

Ponto de fuga – Profundidade e proporção ao seu desenho

Neste post vou falar sobre ponto de fuga, o que é isso, como aplicar esse conceito nos seus desenhos e por que ponto de fuga é tão importante para diminuir os erros nos seus desenhos – principalmente desenhos de paisagens. Já falei sobre isso em outros posts, mas nesse aqui vou dar atenção especial a esse tópico. Você vai ver como desenhar com pontos de fuga (sim, com mais de um) e, em resumo, esse post vai falar sobre perspectiva no desenho. Espero que ajude 😉

Curso de desenho realista 2 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho


Introdução – O que é ponto de fuga?

Ponto de fuga (ou somente fuga) é como se fosse aquele ponto para onde várias linhas do seu desenho se direcionam.

Claro, eu não disse todas as linhas porque isso não existe, muitas vezes vamos ter mais de um ponto de fuga e elementos do desenho que vão fugir um pouco dessa regra.

Acho que uma boa definição seria “o ponto no desenho para o qual convergem retas paralelas“, ou algo assim.

No geral, o ponto de fuga é muito bom para quem vai desenhar paisagens, principalmente paisagens urbanas, com elementos como prédios, casas e carros.

O ponto de fuga pode ser muito bem empregado também em desenhos de ambientes artificiais, como por exemplo o interior de uma casa.

Esse cenários de que falei acima seguem certo padrão, com muitas linhas retas, o que os deixa perfeitos para aplicar o conceito do ponto de fuga.

No entanto, o ponto de fuga pode ser aplicado também a desenho de pessoas, de animais e outras coisas, mesmo que esses elementos não sejam regulares e “com retas paralelas”.

Vamos ver um pouquinho disso nos tópicos a seguir.

Primeiro vou falar de desenhos com uma fuga, seguido de desenhos com dois e três fugas, apresentando alguns exercícios de desenho no processo.

Depois disso vou mostrar esboços de desenhos mais completos, para ilustrar como desenhar objetos mais irregulares levando em conta a perspectiva e a fuga, incluído aí desenho de pessoas.


Exercícios para aprender perspectiva

Pois bem, eu acredito que antes de esboçar desenhos mais complexos temos que aprender o básico.

Por isso, nesta seção do post você vai ver exercícios bem comuns de perspectiva e ponto de fuga.

Tente fazê-los na ordem em que aparecem, e seus resultados podem ser muito bons.

Boa sorte 😉


Desenhos com 1 ponto de fuga

Primeiramente, um bom exercício para quem está começando a aprender ponto de fuga e desenho com perspectiva é treinar desenhar o cubo.

Sim, um simples cubo com um ponto de fuga somente, conforme mostrado abaixo.

ponto de fuga 1 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

Note que as linhas dos planos laterais do cubo confluem para uma mesma direção – o ponto de fuga.

O plano frontal do cubo não segue ponto de fuga nenhum, já que é uma superfície plana de frente e sem perspectiva.

Um exercício bom para treinar desenhos com 1 ponto de fuga é fazer cubos, pirâmides e prismas em diferentes ângulos e posições.

Isso vai ajudar muito na hora de esboçar desenhos mias completos, como será mostrado depois neste post.


Desenhar com pontos de fuga – desenhos com 2 pontos de fuga

Depois de dominar o desenho de formas básicas com um ponto de fuga, chegou a hora de tentar desenhar formas básicas com 2 pontos de fuga.

Lembre-se que linhas paralelas irão sempre em direção ao mesmo ponto de fuga, e linhas que são perpendiculares não vão ao mesmo ponto de fuga.

Se você tiver isso em mente, vai conseguir entender a lógica de como fazer desenhos com 2 ou mais pontos de fuga.

Veja o cubo de novo:

ponto de fuga 2.1 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

No exercício acima, coloquei um cubo de frente para o observador.

Na posição em que ele se encontra não dá pra ver as laterais dele.

Como o observador está acima do cubo, podemos ver a parte de cima do mesmo.

Um outro exercício bom é desenhar esse mesmo cubo em outra posição, com um dos cantos virados para o observador:

ponto de fuga 2.2 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

No caso acima, vemos que o desenho fica um pouquinho mais complexo, por causa da posição do cubo.

A teoria é a mesma, no entanto: linhas que são paralelas confluem na mesma direção.

Curso de desenho realista 2 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho


Desenhar com pontos de fuga – desenhos com 3 pontos de fuga

Por fim, vamos falar de desenhos com 3 pontos de fuga.

Mais uma vez, vamos desenhar um cubo:

ponto de fuga 3 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

Esse desenho pode ser muito parecido com o anterior, mas tem certa diferença.

Eu coloquei um terceiro ponto de fuga, embaixo do cubo.

Esse ponto de fuga está afetando as linhas que representam a altura do cubo, enquanto que o ponto da direita afeta as linhas da lateral direita do cubo, e o ponto da esquerda afeta as linhas da lateral esquerda.

Mais uma vez, recomendo que desenhe várias formas básicas (triângulos, prismas, trapézios, retângulos) levando em conta 3 pontos de fuga, até pegar a manha da coisa.


Aplicando ponto de fuga a paisagens e elementos irregulares

Pronto, vamos falar agora sobre como aplicar o ponto de fuga a paisagens e a elementos mais irregulares.

Vou apresentar 3 desenhos nessa seção do post.

O primeiro será um esboço de um ambiente fechado, com dois pontos de fuga.

O segundo desenho será um ambiente aberto, com bastante elementos irregulares.

Por fim, vou mostrar um esboço de um ambiente urbano.


Exemplo 1 – Desenho do interior de um quarto

Comecemos com um desenho mais regular: um quarto com uma janela, uma porta e uma mesa.

ponto de fuga paisagem - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

Pois bem, veja que eu coloquei 2 pontos de fuga no desenho acima (marcados em vermelho).

A partir desses pontos eu tracei linhas, que serviram de diretrizes para esboçar a porta, a mesa, a janela e as próprias paredes do quarto.

Apesar do desenho ser mais complicado, a regra é a mesma usada nos exercícios com cubos: linhas paralelas vão para a mesma direção.


Exemplo 2 – Desenho de paisagem com elementos irregulares

Agora veja um exemplo um poco diferente:

ponto de fuga 1 paisagem e elementos irregulares - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

No desenho acima há muitos elementos irregulares em uma paisagem com 1 ponto de fuga só.

Os postes são um pouco irregulares. As colinas, a estrada e as nuvens são muito irregulares.

Como fazer esse tipo de esboço?

Bem, uma coisa que ajuda é traçar a linha do horizonte e, sempre que algum objeto se aproximar dessa linha, você desenha ele menor.

O ponto de fuga está na linha do horizonte, neste caso, e tudo o que se aproximar dele ficará menor também.

No caso dos pequenos morros (colinas) à esquerda a imagem, podemos traçar linhas imaginárias do topo delas até o ponto de fuga, e da base delas também.

Assim, podemos fazer colinas de igual tamanho, que vão diminuindo conforme se aproximam do ponto de fuga.

E as nuvens?

Bem, tenho uma dica valiosa para desenhar nuvens com perspectiva. É a mesma coisa que tenho falado até aqui, na verdade.

Anota aí: quanto mais próximo da linha do horizonte, menores as nuvens. Quanto mais altas, maiores as nuvens.

Se você seguir essa dica, teu desenho vai ganhar profundidade e perspectiva.

Por fim, uma crítica a esse desenho meu acima: os postes estão muito pequenos, precisariam ser maiores para ficar proporcional aos outros elementos que compõe a paisagem. Tirando isso, está OK.


Exemplo 3 – Desenho de paisagem urbana

Por fim, o último exemplo, um desenho de uma paisagem urbana, com 3 pontos de fuga:

ponto de fuga 3 paisagem - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

Os pontos de fuga foram marcados em vermelho, mais um vez.

Neste caso, um dos pontos de fuga está acima dos prédios, e ficou indicado com setas vermelhas.

Note que, em paisagens urbanas, temos muitas linhas paralelas (janelas, portas, prédios, calçadas).

Todas essas linhas paralelas tem que ir na mesma direção.

Por isso, esse tipo de paisagem acaba sendo trabalhoso de fazer, apesar de que não é difícil.

O truque é traçar o máximo de linhas diretrizes, ligando os elementos da paisagem aos seus respectivos pontos de fuga.


Desenhar com pontos de fuga – aplicando ponto de fuga a pessoas

Por fim, vamos falar de algo um pouquinho mais difícil, na minha opinião.

Como aplicar ponto de fuga e perspectiva a desenho de pessoas?

Bom, assim como qualquer elemento irregular do desenho, a gente vai ter que marcar o ponto mais alto da pessoa (a cabeça) e o ponto mais baixo (os pés).

Feito isso, ligamos esses pontos à fuga e, dessa forma, podemos manter a proporção das pessoas conforme se aproximam ou se afastam do ponto de fuga.

corpo humano com perspectiva e ponto de fuga 1 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

O que pode acontecer as veze é alguma parte do corpo da pessoa estar mais próximo à fuga do que outras partes.

Ou seja, partes do corpo da pessoa está mais próxima ao observador e outras partes estão mais distantes.

Isso aconteceu no desenho acima. A mão que está fechada está mais próxima do observador, enquanto que a mão que está apontando para algo está mais distante, próxima à fuga.

Isso faz com que as mãos, no desenho acima, tenham tamanhos diferentes.

Claro que, em um desenho mais detalhado do corpo humano, com mais de um ponto de fuga, a coisa pode ficar complexa…

Veja outro exemplo abaixo.

corpo humano com perspectiva e ponto de fuga 2 - Ponto de fuga - Profundidade e proporção ao seu desenho

No exemplo acima, temos três pessoas em posições diferentes.

O que precisamos ter em mente é que tudo que se aproxima do ponto de fuga fica menor, e tudo o que se aproxima do observador fica maior.

Tendo isso em mente, podemos esboçar seres humanos com perspectiva de forma um pouquinho mais eficaz.

No entanto, como o corpo humano é complicado de desenhar e existem muitas regras de proporção que precisam ser respeitadas, entender um pouco de perspectiva não é o suficiente.

O ideal é que você estude antes um pouquinho de anatomia humana e como desenhar pessoas.

Para isso, recomendo os posts deste site sobre o método Loomis, para desenhar corpo humano.


Resumo – desenhar com pontos de fuga

Neste post foi apresentado o conceito de ponto de fuga (ou somente fuga) e foi mostrado vários exercícios – todos envolvendo desenhar um cubo, em diferentes ângulos e perspectivas.

Além disso, alguns desenhos mais complexos foram apresentados, sendo eles um desenho de um quarto, de uma estrada e de alguns prédios.

Por fim, foi mostrado esboços de pessoas levando em conta a fuga e a perspectiva.

Siga os exercícios e tente colocar em prática o que você aprendeu neste post que, com o tempo, seus desenhos vão ganhar mais e mais profundidade.

Abraço!

Sua assinatura não pôde ser validada.
Você fez sua assinatura com sucesso.

Deixe seu e-mail para receber novidades do Blog!

Tem post sobre desenho toda semana!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.