como desenhar animais

Desenho realista de animais – guia definitivo parte 1

Muita gente já quis desenhar seu cachorro, seu gato ou algum animal, mas não tinha as técnicas corretas para fazer um desenho satisfatório. Se esse é o seu caso, leia o post com atenção, já que serão relatadas aqui as técnicas usadas para desenhar animais, em especial um cachorro e um falcão, da forma mais realista possível, usando materiais de desenho fáceis de se encontrar.

banner introdução ao desenho realista - Desenho realista de animais - guia definitivo parte 1


Introdução

Quem é chegado a desenho sempre resolve, algum dia, desenhar algum bicho. Geralmente, quando esse dia chega, o animal é um cachorro ou um gato. Sabemos no entanto que existem muitos animais por aí (cães, gatos, ursos, aves, anfíbios, insetos, aracnídeos, crustáceos ou até mesmo um ornitorrinco diferentão), e que não dá para explicar como desenhar todos eles, já que são muitos. Seria quase impossível criar um método, passo a passo, que sirva para desenhar qualquer animal, já que cada um deles possui sua peculiaridade.

Diante disso, a proposta deste artigo é falar sobre o processo de se desenhar animais com destaque para dois desenhos específicos: um cachorro e uma ave. Somado a isso, serão apresentadas ao longo do post algumas dicas generalistas, que podem ser aplicadas a qualquer desenho de animal, levando em conta as particularidades de cada caso. Reforço que não dá para criar um método que sirva para tudo, mas existem técnicas que ajudam muito e que podem ser aplicadas em qualquer desenho, em especial em desenhos de animais.

Obs: O foco do artigo está muito mais na técnica usada para sombrear e dar o efeito realista aos animais do que no processo de se esboçar o animal. Ainda assim, são apresentadas algumas ideias de como esboçá-los.


Desenho realista de um falcão

Ao estudar desenho realista de animais, é inevitável falar de aves. Começamos sempre pelo traço do desenho, como de costume. Temos algumas formas de se fazer o traço do desenho e eu, pessoalmente, gosto muito do decalque. Se você for usar decalque, essa etapa do desenho estará rapidamente concluída. Caso não saiba muito sobre essa técnica, veja este artigo que aborda o decalque. Neste mesmo artigo é feita uma introdução ao desenho realista, então é legal dar uma lida caso você seja iniciante.

Caso você não queira suar decalque para fazer o contorno do desenho, pode se aventurar no desenho usando figuras básicas. Essa forma de esboçar o desenho consistem em identificar as formas básicas na sua referência e, a partir disso, ir aparando as pontas e arredondando os traços até se ter um esboço satisfatório do seu desenho. Neste artigo aqui é abordado esse tipo de técnica para fazer esboços, além de outras técnicas para se tirar o traço do desenho (método de Charles Bargue por exemplo, que é muito bom). O desenho que estaremos analisando a partir deste ponto é este da figura abaixo:

falcao desenho 502x1024 - Desenho realista de animais - guia definitivo parte 1

Feito o esboço/traço do desenho, vamos à primeira etapa deste desenho que, no meu caso, foram as penas escuras do animal. Depois das penas escuras foram feitos todos os detalhes igualmente escuros do falcão, como o bico e os olhos.


Desenhando as penas do falcão

Quando estamos desenhando as muitas penas das aves podemos encontrar alguma dificuldade, já que muitas vezes elas vão ter formas não muito definidas, tons de cinza muito variados e texturas variadas. Ou seja, tem muito tipo de pena. Se olharmos o falcão com atenção, veremos que tem penas muito escuras, outras com tons médios e algumas outras bem claras. Somado a isso, os formatos das penas estão variando bastante e a textura também.

A solução para desenhar isso é ignorar o fato de que são penas e simplesmente copiar aquilo que estamos vendo. Nesta tarefa, eu comecei pelos detalhes mais escuros do falcão, usando diretamente grafite 4B. Em manchas maiores eu usei lápis 4B bem apontado e, em manchas menores, eu usei lapiseira 4B, sendo que a maior parte do tempo eu usei a lapiseira mesmo.

É possível ver, na asa do falcão, que a maioria das penas mais escuras possuem certo degradée, ou seja, possuem uma tonalidade mais escura que vai aos poucos clareando. Fazer isso não foi tão difícil, e eu recomendo fortemente usar lapiseira 0.5 com grafite 4B. Comece fazendo a parte escura e vá aliviando a pressão em sua mão conforme preenche a pena. Na figura abaixo simulei o desenho dessas penas com uma lapiseira.

desenho de penas de ave - Desenho realista de animais - guia definitivo parte 1

Note que existem espaços em branco entre as penas. Esses espaços foram preservados ao longo do sombreamento, podendo ser clareados e reforçados mais tarde com uma caneta borracha.

Observe também que o grafite não está esfumado na figura acima, ele só foi passado sobre o papel sem nenhum tipo de suavização. Para deixar a textura dessas penas mais lisa e suave é legal usar um esfuminho, passando sempre em cima das partes escuras, preservando as áreas brancas ao máximo.


Desenhando bico, olhos e garras da ave

Para se fazer o bico, as garras e os olhos da ave em questão, foi utilizado o grafite 4B e a lapiseira, mais uma vez. Segurando a lapiseira de forma firme e aplicando bastante pressão é possível alcançar tons bem escuros com o grafite e, assim, o bico, os olhos e as garras do falcão foram preenchidos, sempre preservando áreas brancas.

Após preencher essas áreas, foi passado o pincel e o esfuminho para deixar as transições mais amenas e as texturas mais suaves.


Desenhando tons médios da ave

As penas mais claras foram feitas usando lápis 2B ou B, sempre muito bem apontados, de acordo com a necessidade. O sombreado foi feito sempre seguindo o sentido do pelo do animal, passando-se então esfuminho para suavizar tudo.

O mesmo foi feito nas duas pernas da ave, sendo que nesse caso foi necessário atentar ao formato das pernas, que são roliças. Em referências roliças geralmente a luz bate mais forte de um dos lados e vai ficando mais escuro do outro. Na perna da ave é a mesma coisa, de um lado temos uma luz mais forte (lado esquerdo) e do outro uma sombra um pouco mais intensa (lado direito). Isso tudo foi feito de forma suave, com lápis B e HB.


Retoques finais na ave

Ao desenhar o falcão não pude deixar de notar que algumas partes do animal possuíam uma textura mais evidente, e que ao esfumar tudo com o esfuminho essa textura era perdida. Por isso, ao fim do desenho, foi necessário retocar e reforçar alguns traços com o lápis HB, B e 2B, para dar uma sensação mais realista.

Por exemplo, na cabeça do falcão, acima de seus olhos, temos alguns traços mais escuros, paralelos, que acompanham a curvatura da cabeça da ave. No peito da ave também temos algo desse tipo: alguns traços bem claros, seguindo o contorno do peito, podem ser vistos, apesar de serem muito suaves e clarinhos.

Por fim, o aspecto realista do desenho vai depender dos contrastes que você consegue colocar na arte. Se você conseguir dar um bom destaque para as partes mais claras ao escurecer o entorno delas, dando valor para as partes mais escuras, então o desenho vai ficar bem legal.


Desenho realista de um cão

Ao falar de desenho realista de animais, mais uma vez, é inevitável falar de cachorros. Nesta parte do artigo o intuito é falar um pouco sobre o desenho de um cachorro, mais especificamente um cachorro da raça pug. O desenho em questão encontra-se abaixo. Caso você tenha interesse num guia mais detalhado sobre como este desenho foi feito, recomendo que baixe o e-book Introdução ao Desenho Realista, que é de graça e tem várias dicas relacionadas aos materiais usados, às técnicas e às etapas do desenho.

desenho do pug completo - Desenho realista de animais - guia definitivo parte 1

Neste caso, diferentemente do desenho do falcão, temos um animal cujo corpo não se encontra muito nítido, com várias áreas desfocadas. Isso pode ser resolvido pintando as áreas desfocadas de preto (lápis 6B ou 8B) e em seguida passando o pincel e o esfuminho.

O pincel, especificamente, é ótimo para fazer o grafite penetrar no papel, fazendo com que regiões escuras do seu desenho fiquem mais escuras ainda. Por isso, o pincel acaba sendo um material essencial, na minha opinião, para desenhar qualquer coisa que possua algum tom negro intenso, como é o caso do nosso pug aí.

O esfuminho, especificamente, é ótimo para desfocar partes do seu desenho, sendo por isso essencial em desenhos que possuam um fundo desfocado ou alguma parte desfocada. No caso do pug, temos várias partes do corpo do animal desfocadas (as pernas e um pouco das orelhas). Naturalmente usaremos muito o pincel e o esfuminho então neste desenho.

Devemos ter bastante atenção no entanto no desenho do focinho do animal, que é mais detalhado, e no bigode e nos olhos também.


Esboço e preparação do desenho

Nesta primeira etapa do desenho do cão foi feito o traço usando decalque. Em seguida são feitos alguns fios do bigode e da barba do animal com o boleador. Nessa etapa, devemos criar sulcos no papel usando a ferramenta citada, que ficarão evidentes mais tarde quando passarmos algum grafite mais escuro sobre o papel.

Como preparação do desenho isso basta. Continuamos o desenho fazendo as partes escuras e bem definidas do animal, partindo então para as partes do animal que estão desfocadas e, por fim, para o fundo do desenho.


Desenhando os olhos do pug

Os olhos do pug foram feitos usando lapiseira com grafite 4B e também lápis 4B. Essa etapa é bem fácil, sendo que o único cuidado que devemos ter é em preservar os brilhos nos olhos do cachorro. Caso esqueçamos dos brilhos teremos problemas depois, já que fica muito difícil abrir brilhos com a borracha em lugares onde passamos o grafite 4B ou outro superior.

Alguns brilhos não são tão claros, como acontece no olho esquerdo do cão. Nestes casos, podemos só passar o esfuminho puxando o grafite que está em volta para dentro da área branca preservada, até atingir o tom médio que queremos.

Por fim, ao terminar de pintar os olhos do pug, temos que passar o pincel com cerdas curtas para fazer o grafite penetrar bem no papel. Feito isso, podemos partir para a próxima etapa, que é o focinho.


Desenhando o focinho

Neste ponto do desenho precisamos tentar criar a textura do focinho do cachorro. Isso não é tão difícil, basta termos cuidado ao desenhar. Primeiramente foi escurecido com lápis 4B o interior das narinas do pug. Em seguida, foi feito um sombreado gradual, partindo de dentro das narinas para fora, usando pontilhismo com lapiseira 0.5 e grafite 4B.

As áreas mais escuras do focinho receberam muitos pontinhos, enquanto as áreas mais claras receberam menos pontinhos e, dessa forma, foi sendo criada a textura desejada para essa parte do corpo do animal. O esfuminho foi passado de forma extremamente leve, para espalhar um pouco o grafite, e a caneta borracha 2.3 foi usada para fazer pequenos pontinhos claros em áreas menos escuras e com mais brilho.

Você vai perceber que nos lugares onde havíamos passado o boleador ficaram finos traços brancos. Os sulcos que o boleador deixou no papel são dificilmente preenchidos com grafite, resultando em um traço branco no meio do negro do grafite. Esses traços são a barbinha do nosso pug e também alguns fios de seu bigode.


Desenhando partes desfocadas do corpo do animal

Após fazer o focinho e os olhos, começamos a escurecer o restante do corpo do cachorrinho, sempre usando direto um grafite mais escuro, 4B ou superior, passando sempre o pincel de cerdas curtas para ajudar o grafite a penetrar no papel. Em algumas áreas na parte de cima da cabeça temos uma pelagem mais clara, levemente mais nítida. Nessas áreas foi usado o lápis 2B, esfuminho e pincel, mantendo a levemente a textura.

Relembrando que no e-book Introdução ao Desenho Realista temos as etapas deste desenho registradas e mais detalhadas, além de muitas outras ilustrações que ajudam a entender melhor o processo desse desenho.


Desenho realista de animais: Resumo

Neste artigo falamos sobre desenho realista de animais, especificamente de dois: um falcão e um cachorro. O passo a passo difere de um para o outro, mas no final das contas é tudo muito semelhante no desenho realista, principalmente quando se usa técnicas como o decalque ou a mesa de luz.

A maior parte do tempo estaremos sombreando o desenho, fazendo texturas, reforçando luzes e trabalhando o contraste entre zonas claras e escuras.

Não existe regra para desenhar animais, mas algumas técnicas acabam se repetindo, já que muitos animais tem características em comum bem notáveis, como por exemplo a pelagem dos mamíferos, os olhos de praticamente todos os animais (incluindo aí o homem né), entre muitas outras.

Se você dominar bem o desenho de olhos e conseguir fazê-los de maneira bem expressiva, verá que sua habilidade em fazer desenho realista de animais ficará muito melhor, já que o olho acaba sendo uma etapa essencial em quase todos os desenhos de seres vivos em geral.

Se você dominar bem o desenho de cabelo, o que pode ser visto neste artigo aqui, verá que o desenho de pelos de animais ficará mais fácil e muito mais realista. A questão é só você dominar a técnica certa! Cabelos humanos e pelos de animais são a mesma coisa 😉


Desenho realista de animais: Artigos futuros

Em um post futuro pretendo continuar a falar sobre desenho realista de animais, de preferência abordando animais diferentes, como insetos, répteis e anfíbios. Muitos insetos tem uma carapaça dura e brilhosa, o que seria uma técnica interessante de se aplicar, lembrando muito o cromado de alguns carros. Já os anfíbios e répteis costumam ter uma pele molhada e, consequentemente, brilhosa também, lembrando muito algumas partes do corpo humano que são molhadas também, como os cantos dos olhos ou a boca. Isso fica para a próxima 😉

Compartilhe com quem gosta de arte e desenhe sempre 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *